Quem tem um animalzinho de estimação sabe que às vezes é difícil deixá-lo para trás na hora de viajar. Porém transportar um pet em avião não é uma tarefa tão fácil, por isso o viajante tem que ficar atento a algumas regras. 
 
 
Como levar seu cão e gato em voos nacionais 
 
Cada companhia aérea tem sua própria regra para transporte de animais, mas no geral, o tipo de transporte varia de acordo com o tamanho do bichinho. O serviço é pago e deve ser adquirido no momento da compra da passagem. 
 
 
Cães e gatos a partir dos quatro meses de idade e com peso máximo de 10 kg (contando a caixa de transporte) podem ser transportados a bordo em voos da companhia. Para isso, eles devem estar em caixas de transporte, que devem ser resistentes a vazamentos e com as seguintes medidas:
  • Caixa rígida: altura: 22 cm, largura: 32 cm e profundidade: 43 cm
  • Caixa flexível: altura: 24 cm, largura: 32 cm e profundidade: 43 cm
Cada passageiro e que não esteja acompanhado de criança menor de 12 anos pode transportar um animal e o transporte custa R$ 250 por trecho. Animais de 10 a 30 quilos serão despachados ao custo de a partir de R$ 650* por trecho. 
 
Para transportar seu bichinho, você deverá apresentar atestado sanitário e carteira de vacinação ou passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, emitido pelo Ministério da Agricultura. 
 
 
A Azul só permite o transporte de animais na cabine e eles devem ter mais que quatro meses de idade e peso máximo de 5 kg (contando a caixa de transporte). Para o transporte, são aceitos dois tipos de embalagem: o container rígido ou a mala flexível. As dimensões devem ser de, no máximo, 43 cm comprimento X 31,5 cm de largura X 20 cm de altura. O serviço custa R$ 250*. 
 
Para atestar que o animal esteja em boa saúde, é necessário apresentar o comprovante da vacinação antirrábica, com o nome do laboratório produtor, o tipo da vacina e o número da partida/ampola utilizada. Essa vacina precisa ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos de um ano do embarque. Também é preciso ter em mãos o atestado de saúde do animal. 
 
 
Cães e gatos a partir de oito semanas e com peso máximo de 7 kg (contando a caixa de transporte) podem ser transportados a bordo. As dimensões máximas da caixa de transporte devem ser: 
  • Caixa rígida: 19 cm x 36 cm x 33 cm (altura, comprimento, largura)
  • Caixa flexível: 23 cm x 36 cm x 33 cm (altura, comprimento, largura)
O transporte só será permitido se o passageiro apresentar você apresentar um atestado de vacinação antirrábica, recomendada para filhotes com mais de 90 dias de vida. Após a aplicação da 1ª dose, deve-se aguardar 30 dias para o embarque. O serviço custa 200 reais.
 
Animais de 7 a 45 quilos (caixa mais animal) serão despachados e será cobrado um valor de 500* a 900 reais a depender do tamanho do bicho. 
 
 
 
 
Independente da companhia escolhida, o ideal é chegar com bastante antecedência ao aeroporto, já que o processo de embarque de animais é mais burocrático do que de humanos. E, em caso de dúvidas, é sempre bom entrar em contato com a companhia aérea.  
 
Como levar seu animal de estimação em voos internacionais 
 
A maioria das companhias permite o embarque de animais do mesmo molde que em voos nacionais. Algumas cobram um pouco mais caro e só permitem em alguns destinos específicos, é o caso da Avianca, por exemplo, que não transporta animais em voos para Aruba e Curaçau e em caso de voos para a Europa, os bichinhos devem ir no bagageiro. A principal diferença para o transporte de animais em voos internacionais é a documentação obrigatória. 
Além dos documentos exigidos em voos nacionais, os passageiros precisam solicitar ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento a emissão do Certificado Veterinário Internacional (CVI), documento que comprova a boa condição sanitária do animal para ingressar em outro país. 
 
Cada país tem diferentes restrições relacionadas à segurança sanitária e distintas regras sobre a documentação exigida no transporte de animais. Por isso, para evitar qualquer contratempo, o ideal é entrar em contato com a autoridade sanitária ou com o consulado do país de destino. 
 
* Os valores foram pesquisados em junho de 2019.