Ervas aromáticas, ingredientes provenientes da mandioca e peixes de rio são a base da culinária do Norte do Brasil, cheia de nomes que praticamente não se escutam em nenhuma outra região, como tucupi, tacacá e maniçoba. A influência indígena também é muito presente na escolha dos insumos e nas tradições do preparo.
 
Conheça os pratos típicos da gastronomia do Norte do Brasil e saiba em qual estado econtrar cada um deles:

Pato no Tucupi


(Foto: Paulo Vilela/Shutterstock)

Esse prato é um dos carros-chefe da culinária paraense e consumido na festa religiosa mais importante da Amazônia, o Círio de Nazaré. O Tucupi é um líquido extraído da raiz da mandioca, separado da goma, cozido e fermentado de 3 a 5 dias até virar o molho mais popular da região. Nesse prato típico, o pato é assado, destrinchado e colocado para ferver no tucupi com vários temperos. O melhor lugar para conhecer as receitas clássicas da culinária paraense em Belém é no Ver-o-Peso, mercado de quase 400 anos que é um patrimônio da história, da cultura e da gastronomia paraense, às margens da baía do Guajará.

Tacacá

Essa espécie de sopa, servida numa cuia natural, é típica do Pará (em qualquer esquina tem uma “Tacacazeira”, as cozinheiras do Tacacá), mas também é facilmente encontrada no Acre, no Amapá, em Roraima, no Amazonas… O caldo leva tapioca, camarão, pimenta, jambu (uma erva amazônica que deixa a boca um pouco dormente) e, claro, sempre ele, o tucupi.

Caldeirada de Tambaqui


(Foto: Paulo Vilela/Shutterstock)

O Tambaqui é um dos principais peixes amazônicos e é tão carnudo que suas costelas são a parte mais aproveitada, tanto assadas quanto fritas. O seu sabor é bem marcante, o que faz com que esse prato faça parte da identidade culinária do Norte. Na caldeirada, podem ir várias partes do peixe, para extrair ainda mais o seu sabor, e são adicionados vegetais, temperos como pimenta de cheiro e coentro, e limão. 

Maniçoba

De origem indígena, esse prato é conhecido como a “feijoada paraense” - mas o curioso é que não leva feijão. Ele é feito com as folhas da mandioca brava, que passam por um processo de produção similar ao do tucupi, com vário dias de cozimento. Depois, são adicionadas carne de porco e de boi e outros ingredientes de sabor defumado. Ela é servida com arroz branco, farinha de mandioca e pimenta.

Açaí

(Foto: Ella Olsson)

Tudo bem que o Brasil inteiro está acostumado a saboreá-lo, mas no Norte, especialmente no Pará, essa fruta tem outro gosto e uma presença completamente diferente na cozinha. Em vez de congelado, como conhecemos no resto do país, ele vem fresco, servido tanto de manhã, no café, quanto nas outras refeições do dia com peixe frito, por exemplo, praticamente substituindo o feijão(!). 

Mujica de peixe

Esse prato amazônico, também de origem indígena, é popular até no Centro-Oeste, no Mato Grosso. Consumido principalmente como entradinha no Amazonas, a receita visa aproveitar “as sobras” do peixe assado do dia anterior, normalmente o Tambaqui. No caldo, vai azeite, vegetais, temperos, diferentes pimentas, o peixe desfiado e farinha branca para engrossar.

Pirarucu de casaca

(Foto: Paulo Vilela/Shutterstock)

Apelidado de “gigante amazônico”, o Pirarucu é um dos maiores peixes de água doce do planeta e um dos símbolos da culinária do Norte. Sua carne é limpa, sem espinhas, suave, tenra e muito palatável até para quem não está muito habituado a comer frutos do mar. A receita de Pirarucu de Casaca é muito consumida no Amazonas e é servida em camadas: o peixe desfiado, a farofa de mandioca, a banana-da-terra frita, o refogado de vegetais…